Pesquisar este blog

sábado, 18 de julho de 2015

Biografias musicais para a Rádio Nacional/Funarte - Tom Zé

Estúdio F

Tom Zé




Á U D I O T E X T O

Música-tema entra e fica em BG;

Locutor - A Rádio Nacional apresenta
ESTUDIO F,
Momentos Musicais da Funarte

Apresentação de ----- (1’25”)

Apresentador: SENHORAS E SENHORES, NESSE ‘ESTÚDIO F’ EU “VOU EXPLICAR PARA TE CONFUNDIR, VOU CONFUNDIR PARA TE ESCLARECER” A HISTÓRIA DE UM INVENTOR, CANTOR, COMPOSITOR. DE UM NORDESTINO APLAUDIDO DE PÉ NO MUSEU DE ARTE MODERNA DE NOVA YORK. DE UM DOS GRANDES REALIZADORES DO TROPICALISMO BRASILEIRO: COM VOCÊS: O MESTRE DA INOVAÇÃO, TOM ZÉ. (20”)

Entra “Tô” e fica até o final.(2’59”)
https://www.youtube.com/watch?v=VzxBM6IO8do

Apresentador: NÓS COMEÇAMOS COM “TÔ”, MÚSICA DE TOM ZÉ E ELTON MEDEIROS. NESSA VERSÃO, O NOSSO HOMENAGEADO É ACOMPANHADO DE PAULINHO MOSKA.
ANTÔNIO JOSÉ SANTANA MARTINS, O TOM ZÉ, NASCEU NO RECÔNCAVO BAIANO, NA CIDADE DE IRARÁ. DISTANTE DE TODA TECNOLOGIA,
ERA ATRAVÉS DA BOA E VELHA CONVERSA - E NÃO DOS LIVROS E JORNAIS, QUE TODO CONHECIMENTO PASSAVA DE UMA GERAÇÃO PARA OUTRA. ESSA TRADIÇÃO ORAL, ESSA "CONTAÇÃO DE CASOS" TORNOU-SE MARCA REGISTRADA DA MÚSICA PROSEADA DE TOM ZÉ, O MENINO QUE NASCEU SOB A ESTRELA DA SORTE GRANDE: O PAI GANHOU NA LOTERIA, INVESTIU EM UMA LOJA DE TECIDOS E PÔDE DAR AO FILHO UMA EDUCAÇÃO PRIVILEGIADA EM RELAÇÃO À MAIORIA DAS PESSOAS DA LOCALIDADE. EM ‘SABOR DE BURRICE’, MÚSICA DO DISCO “GRANDE LIQUIDAÇÃO”,TOM ZÉ FALA SOBRE O SISTEMA EDUCACIONAL BRASILEIRO. (50”)

Entra “Sabor de Burrice” e fica até o final. (4’17”)


Apresentador: JÁ EM SALVADOR, AOS 17 ANOS, UM AMIGO MOSTRA A TOM ZÉ O QUE ESTAVA APRENDENDO NO VIOLÃO E ELE FICA APAIXONADO. LOGO APRENDE A TOCAR E A COMPOR CANÇÕES COMO AS QUE OUVIA NO RÁDIO. ASSIM, NA HORA DO VESTIBULAR, ESCUTOU A VOZ DO CORAÇÃO E AO INVÉS DE ‘SE FAZER DOUTOR’, COM ELE MESMO DIZ, DECIDIU ESTUDAR MÚSICA. FOI O PRIMEIRO COLOCADO NA SELEÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. ALUNO DE PROFESSORES EUROPEUS CONSAGRADOS, FOI ESTIMULADO A PESQUISAR, A SE APROFUNDAR, A COLOCAR TODA SUA CRIATIVIDADE EM AÇÃO.E DEDICOU-SE COM AFINCO. SUAS LETRAS SÃO CRÍTICAS, SÃO POLITIZADAS, SÃO SEMPRE ATUAIS. SEUS SONS SURPREENDEM. TOM ZÉ SEGUIU FUGINDO DO ÓBVIO, CRIANDO INSTRUMENTOS COM UTENSÍLIOS COMO LIQUIDIFICADORES, ENCERADEIRAS E ASPIRADORES DE PÓ. O SHOW DA ORQUESTRA DE ELETRODOMÉSTICOS QUE ELE CHAMA DE INSTROMZÉMENTOS, QUE ESTAMOS OUVINDO, É A FAIXA ‘DESAFIO’, DO DVD ‘JOGOS DE ARMAR - SHOW AO VIVO’. (23”)

Entra ‘Desafio’como bg do trecho acima, sobe e fica até o final. (2’30”)
http://www.youtube.com/watch?v=bldBLGfRj88&list=PLFF4B8E2ED4256B6C – cortar em 5’32” porque ele começa uma sequência com palavrões que é desnecessária nesse momento.
Apresentador: SE ANTES DOS VINTE ANOS TOM ZÉ JÁ TOCAVA VIOLÃO E COMPUNHA COM FACILIDADE, NÃO SE PODE DIZER O MESMO DE SUA HABILIDADE DE SE APRESENTAR EM PÚBLICO. FOI AO TENTAR CANTAR PARA A NAMORADA, DALMA, QUE FICOU PARALIZADO PELA PRIMEIRA VEZ.
HOJE, TOM ZÉ É RECONHECIDO COMO UM SHOWMAN. SUAS APRESENTAÇÕES SÃO SEMPRE TEATRAIS, COM FIGURINOS EXCÊNTRICOS, PERFORMANCES INUSITADAS E CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS. A INSPIRAÇÃO VEIO DE UMA FIGURA DA INFÂNCIA: O HOMEM DA MALA. UM TIPO MUITO COMUM NO RECÔNCAVO BAIANO: UM VENDEDOR, QUE PERCORRE AS PEQUENAS CIDADES COM UMA GRANDE MALA COM OS MAIS VARIADOS PRODUTOS. PARA ATRAIR A CLIENTELA, O COMERCIANTE MONTA UM VERDADEIRO ESPETÁCULO NA RUA.
ESSA MISTURA APARENTEMENTE ALEATÓRIA ACONTECE, POR EXEMPLO, NA MÚSICA “CATECISMO, CREME DENTAL E EU”. (4   5’)
        Entra “CATECISMO, CREME DENTAL E EU” e fica até o fim. (2'48”)                 

Apresentador: NO PRÓXIMO BLOCO, O DESTINO DE TOM ZÉ APÓS INTEGRAR O GRUPO DAS ESTRELAS DO TROPICALISMO, A OUSADIA DO ARTISTA PARA ENFRETAR A CENSURA NOS ANOS DE CHUMBO E A CONSAGRAÇÃO COMO MÚSICO POPULAR.(10”)

Locutor: Estamos apresentando Estúdio F,
Momentos Musicais da Funarte. (3”)

( TOTAL DO BLOCO, APROXIMADAMENTE 17’)

I N T E R V A L O


  • Insert Chamada Funarte

Locutor: - Continuamos com Estúdio F

       Bloco começa direto com “Guindaste a Rigor” (1’04”) (Essa é uma música cheia de trocadilhos, por isso foi a escolhida. Cortar nesse tempo.)

Apresentador: AS LETRAS DAS MÚSICAS DE TOM ZÉ SÃO SEMPRE CHEIAS DE TROCADILHOS, REFERÊCIAS A NOTÍCIAS, LIVROS, OUTRAS MÚSICAS E ARTISTAS. PARA ‘CURTIR’ TOM ZÉ PLENAMENTE, É PRECISO PREPARAR A BAGAGEM COM ANTECEDÊNCIA E ESTAR PREPARADO PARA REPENSAR O MUNDO. E FOI COM O JOGO DE PALAVRAS QUE ESSE ARTISTA CONSEGUIU DESTAQUE NA MÍDIA PELA PRIMEIRA VEZ.
TOM ZÉ DECIDIU CONCORRER EM UM SHOW DE CALOUROS DA TV ITAPOAN, APRESENTADO POR NILTON PAES. NO PROGRAMA ‘ESCADA PARA O SUCESSO’ ELE APRESENTOU ‘RAMPA PARA O FRACASSO’ E CONQUISTOU O PRIMEIRO LUGAR POR CRIATIVIDADE E PERSONALIDADE MARCANTE.

A PARTIR DE ENTÃO, TOM ZÉ PASSOU A CONVIVER COM OS MÚSICOS DE SALVADOR COM MAIS FREQUÊNCIA. DESSAS AMIZADES SURGIRAM NOVAS PARCERIAS, INCLUSIVE NO TEATRO. COM CAETANO, GILBERTO GIL, GAL COSTA, MARIA BETANIA E DJALMA CORREA, TOM ZÉ PARTICIPOU DO ESPETÁCULO “NÓS, POR EXEMPLO”, NO TEATRO CASTRO ALVES, EM SALVADOR E, EM SEGUIDA, FOI PARA SÃO PAULO, ATUAR EM “ARENA CANTA BAHIA” DIRIGIDO POR AUGUSTO BOAL.
COM ESSE GRUPO, TOM ZÉ GRAVOU, EM 1968, O ÁLBUM DEFINIDOR DO MOVIMENTO TROPICALISTA: ‘TROPICALIA OU PANIS ET CIRCENSIS’, LANÇADO PELA POLYGRAM. UMA DAS MÚSICAS DO DISCO, DE AUTORIA DE TOM ZÉ, É ‘PARQUE INDUSTRIAL’. (1’20”)

Entra “Parque Industrial” e fica até o final. (3’12)
https://www.youtube.com/watch?v=S-Zh08pHU6Q
(Começa em 00’14” e termina em 3”16)

.
Apresentador: 1968 FOI UM ANO DIVISOR DE ÁGUAS PARA A MÚSICA BRASILEIRA E PARA TOM ZÉ, QUE DEIXOU SALVADOR E ALCANÇOU O RECONHECIMENTO NACIONAL EM SÃO PAULO.
ALÉM DE GRAVAR O DISCO TROPICÁLIA, TOM ZÉ PARTICIPOU DO 4º. FESTIVAL DE MÚSICA DA TV RECORD. COM A CANÇÃO ‘SÃO SÃO PAULO’, CONQUISTOU O PRIMEIRO LUGAR E, APESAR DE NÃO TER RECEBIDO O DINHEIRO PROMETIDO COMO PRÊMIO, CONSEGUIU GRAVAR O LP “TOM ZÉ”. (25”)
Entra “São São Paulo” e fica até o final. ( cortar em 1’42”)
https://www.youtube.com/watch?v=SA3RPgbUJ9U
Apresentador: NOS ANOS SEGUINTES, TOM ZÉ PRODUZIU INTENSAMENTE, MAS NÃO CONSEGUIU NA MÍDIA O MESMO ESPAÇO QUE OS COMPANHEIROS TROPICALISTAS. EM 1970 E EM 72, LANÇOU, PELA GRAVADORA CONTINENTAL, OUTROS DOIS DISCOS COM SEU NOME. NA SEQUÊNCIA, DRIBLOU OS CENSORES DA DITAURA COM O ALBUM ‘TODOS OS OLHOS’, QUE TRAZIA NA CAPA, O QUE TOM ZÉ CHAMOU DE POEMA VISUAL: UMA BOLA DE GUDE NO ÂNUS DE UMA MODELO. VOCÊ ESTÁ ESCUTANDO A FAIXA TÍTULO ‘TODOS OS OLHOS’. (30”)
Entra “Todos os olhos” como bg no trecho asima, sobre e fica até o final. (3’28”)
https://www.youtube.com/watch?v=pmdHAo_QemY
(começa em 5’15” como bg, termina em 8’43”)
Apresentador: AOS POUCOS TOM ZÉ FOI FICANDO SEM UMA AGENDA DE SHOWS RELEVANTE, LONGE DOS PROGRAMAS DE TELEVISÃO. AINDA GRAVOU O ÁLBUM ‘NAVE MARIA’, MAS FICOU DIFÍCIL SOBREVIVER COMO ARTISTA. TINHA ABERTO, EM 1971, UMA ESCOLA DE MÚSICA, DEU AULAS ATÉ PARA MORAES MOREIRA, QUE VIRIA A INTEGRAR O GRUPO ‘NOVOS BAIANOS’, MAS COM POUCOS ALUNOS, NÃO TEVE COMO MANTER A ESTRUTURA DO LUGAR.
PASSOU A TRABALHAR EM UMA AGENCIA DE PUBLICIDADE, ESCREVENDO JINGLES, (DINGOOLS) QUE ERAM QUASE SEMPRE REJEITADOS.
TENTOU, ENTÃO, GANHAR A VIDA COMO JORNALISTA, NÃO DEU CERTO. A SAÍDA FOI TRABALHAR REDIGINDO RELEASES PARA PRODUTORAS INDEPENDENTES.
NA LISTA DE ATIVIDADES NAS QUAIS TOM ZÉ SE AVENTUROU PARA SUSTENTAR A MÚSICA EM SUA VIDA, ESTÁ ATÉ A CONSULTORIA DE ‘BAIANIDADE’ PARA UMA NOVELA. MAS COMO NÃO GOSTAVA DE ASSISTIR AOS FOLHETINS, A EXPERIÊNCIA TAMBÉM NÃO DUROU MUITO TEMPO.
A GRAVADORA CONTINENTAL PRODUZIU OUTROS DOIS DISCOS DE TOM ZÉ: ‘ESTUDANDO O SAMBA’, EM 1976, E ‘CORREIO DA ESTAÇÃO DO BRÁS’, EM 1978. AS VENDAS DESSE ÚLTIMO ÁLBUM SOMARAM APENAS CINCO MIL CÓPIAS, O QUE LEVOU AO CANCELAMENTO DO CONTRATO ENTRE TOM ZÉ E A CONTINENTAL. DESSE DISCO O ‘ESTÚDIO F’ TOCA, AGORA, A FAIXA ‘MORENA’’. (1’20”)
Entra “Morena” como Bg e fica até o final. (2’40”)
https://www.youtube.com/watch?v=wYtsHqvwOMw
Apresentador: TOM ZÉ JÁ PENSAVA EM ABANDONAR A MÚSICA E VOLTAR PARA O NORDESTE, PARA TRABALHAR NO POSTO DE GASOLINA DE UM SOBRINHO, QUANDO A VIDA PREPAROU UMA DE SUAS SURPRESAS.
DAVID BYRNE (DEIVID BAIRNE), LÍDER DOS TALKING HEADS, (TÁLKIN RÉDS) PLANEJANDO CRIAR SEU PRÓPRIO SELO DE MÚSICA UNDERGROUND, (ANDERGRAUNDI) SAI EM BUSCA DE VINIS ANTIGOS EM SEBOS DO RIO DE JANEIRO. ATRAÍDO PELOS ARAMES FARPADOS DA CAPA DO LP ‘ESTUDANDO O SAMBA’, BYRNE ESCUTA O ÁLBUM DE TOM ZÉ E FICA SURPRESO COM A MÚSICA DE VANGUARDA QUE ENCONTRA.
ASSIM, EM 1990, TOM ZÉ É O PRIMEIRO ARTISTA A ASSINAR CONTRATO COM A GRAVADORA RECÉM-LANÇADA LUAKA BOP. O TRABALHO INICIAL FOI ‘THE BEST OF TOM ZÉ - MASSIVE HITS’.
A DISTRIBUIÇÃO DESSE DISCO PELA WARNER, (UÒRNER) EM TODO O MUNDO, PROVOCOU UMA REVIRAVOLTA NA VIDA DO BAIANO. CRÍTICAS ENCANTADAS COM A INOVAÇÃO DE TOM ZÉ GANHARAM AS PÁGINAS DE PUBLICAÇÕES COMO ROLLING STONETHE NEW YORK TIMES LE MONDE.
UMA DAS CANÇÕES DESSE MARCO DA CARREIRA INTERNACIONAL DE TOM ZÉ É ‘COMPLEXO DE ÉPICO’. VAMOS OUVIR. (1’)
Entra “Complexo de Épico” e fica até o final (1’19”)
https://www.youtube.com/watch?v=OEZspbiCwKE

Apresentador: NO PRÓXIMO BLOCO, ATENTO ÀS NOVAS TECNOLOGIAS, TOM ZÉ LANÇA O PRIMEIRO ALBUM VIRTUAL DA HISTÓRIA DA MÚSICA BRASILEIRA.(8”)

Locutor: Estamos apresentando Estúdio F,
Momentos Musicais da Funarte. (3”)

( TOTAL DO BLOCO 18’)

I N T E R V A L O

  • Insert Chamada Funarte
Locutor: - Continuamos com Estúdio F

Apresentador:O ÁLBUM ‘THE BEST OF TOM ZÉ’ FOI CONSIDERADO UM DOS DEZ DISCOS MAIS IMPORTANTES DA DÉCADA PELA CRÍTICA NORTEAMERICANA, ASSIM, DEPOIS DE OITO ANOS, TOM ZÉ VOLTA AO ESTÚDIO PARA GRAVAR UM CD INTEIRINHO DE MÚSICAS INÉDITAS: ‘THE HIPS OF TRADITION’,(DE RIPS OV TRADIXION) SEGUNDO ÁLBUM LANÇADO PELA LUAKA BOP. O JINGLE DE DIVULGAÇÃO É UMA DAS FAIXAS DO DISCO, COM VERSÃO EM INGLÊS DE JULIO FISHER. (24”)

Entra “Jingle do Disco” e fica até o final. (1’1”)
( começa em 26’54” e termina em 28’)
https://www.youtube.com/watch?v=8oZ1u6mD5Sk

Apresentador: MESMO COM O SUCESSO NO EXTERIOR, TOM ZÉ SÓ É REDESCOBERTO PELO GRANDE PÚBLICO NO BRASIL POR ACASO. ELE HAVIA LANÇADO TRÊS DISCOS, TRABALHAVA NA TRILHA SONORA DA COMPANHIA DE DANÇA GRUPO CORPO - PRIMEIRO SOZINHO, DEPOIS COM JOSÉ MIGUEL WISNIK (VISNIQUE), COMPONDO “PARABELO”, QUE SEGUNDO O GRUPO, REPRESENTOU UM DIVISOR DE ÁGUAS PARA A COMPANHIA.
MAS, FOI DO ENCONTRO CASUAL DE SUA PRODUTORA COM UM DOS DIRETORES DA GRAVADORA TRAMA, EM UM SINAL DE TRÂNSITO, QUE SURGIU A PARCERIA PARA O LANÇAMENTO DE ‘DEFEITO DE FABRICAÇÃO’, DISCO QUE MARCOU O RETORNO DE TOM ZÉ AO SHOW BUSINESS TUPINIQUIM. (33”)

Entra “ONU arma mortal” e fica até o final (50”)
(Do 19’30” a 20’20”)
https://www.youtube.com/watch?v=uBxAXpWnEQY
Apresentador:ACABAMOS DE OUVIR “ONU ARMA MORTAL, UMA DAS CANÇÕES DO ÁLBUM DEFEITO DE FABRICAÇÃO.
EM 1999, AOS 40 ANOS DE CARREIRA, NO ‘ABRIL PRO ROCK’, EM RECIFE,TOM ZÉ SE EMOCIONA COM A MULTIDÃO: DISSE AO PÚBLICO QUE SOBREVIVEU 3 VEZES NA VIDA. QUANDO NÃO QUERIAM QUE ELE NASCESSE, - FAZENDO REFERENCIA AO FATO DE QUE SEUS PAIS NÃO DESEJAVAM A GRAVIDEZ, - QUANDO O TROPICALISMO MORREU E NAQUELE MOMENTO: CONSAGRADO COMO CANTOR POPULAR.
NA EDIÇÃO DE 2002 DO EVENTO, AOS 62 ANOS, SE ENTREGOU DE TAL FORMA, QUE TEVE UM INFARTO AO DESCER DO PALCO. UM SUSTO PARA A AMADA ESPOSA DONA NEUZA. MESMO ASSIM, AINDA EM 2002, TOM ZÉ LANÇA ‘SANTAGUSTIN’, PELA GRAVADORA TRAMA E A EDIÇÃO FRANCESA DE ‘JOGOS DE ARMAR’, PELA BMG. VAMOS OUVIR AGORA ESTE BAIANO ARRETADO CANTANDO ‘MEDO DE MULHER’.(50’)

Entra “Medo de Mulher” e fica até o final. (2’20”)

Apresentador: TOM ZÉ LANÇOU DOIS DISCOS CHAMADOS ‘IMPRENSA CANTADA’. NELES, ELE CANTA E COMENTA FATOS COBERTOS PELA MÍDIA NACIONAL E INTERNACIONAL. EM UMA DAS FAIXAS, TOM MUSICOU UM REQUERIMENTO FEITO À CENSURA CONTRA SEU TRABALHO, O RESULTADO VOCÊ CONFERE AGORA.

Entra “Requerimento a censura” como bg do trecho acima, sobe e fica até o final. (3’26”)
https://www.youtube.com/watch?v=U-mkvB6Vk50

Apresentador: O DISCO QUE ATRAIU O GRANDE PARCEIRO DAVID BYRNE,(DEIVID BARNE) ‘ESTUDANDO O SAMBA’, FOI O PRIMEIRO DE UMA SÉRIE DE ‘ESTUDOS’.
EM 2005, TOM ZÉ LANÇA ‘ESTUDANDO O PAGODE’.
EM 2008, SAI DO FORNO DA GRAVADORA BISCOITO FINO ‘ESTUDANDO A BOSSA’.
E, COMO NÃO PODERIA DEIXAR DE SER, RUMINOU TAMBÉM O TROPICALISMO ATÉ DIGERÍ-LO. DAÍ SURGIU O LIVRO ‘TROPICALISTA LENTA LUTA’ E, MAIS TARDE, O DISCO CONSIDERADO UMA OBRA PRIMA: ‘TROPICÁLIA LIXO LÓGICO’. NELE, TOM ZÉ CONSEGUIU SER CÔMICO E ERUDITO, TROPICALISTA E POP. AOS SETENTA E CINCO ANOS, TOM ZÉ BEBEU DAS ÁGUAS DA JUVENTUDE, SE CERCANDO DE NOVOS MÚSICOS: TROPICÁLIA LIXO LÓGICO’ FOI PRODUZIDO POR DANIEL MAIA, COM PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS DE MALLU MAGALHÃES, EMICIDA, RODRIGO AMARANTE, PÉLICO E WASHINGTON. (50”)
Entra “Capitais e tais” e fica até o final. (2’09”)
(segunda música do disco)
Apresentador: TOM ZÉ FOI TEMA DE TRÊS DOCUMENTÁRIOS PREMIADOS. LANÇOU ‘PIRULITO DA CIÊNCIA’, CD E DVD, QUE ALÉM DAS MÚSICAS, TRAZ UMA ENTREVISTA, CONTANDO SOBRE A PRISÃO NA DITADURA, A VIDA DE MÚSICO. HISTÓRIA PARA QUEM É FÃ DESDE SEMPRE, OU DESDE QUE ‘VIROU MODA’. CONTINUOU ESTUDANDO E LECIONANDO MÚSICA E, NO AMBIENTE DA UNIVERSIDADE, SEMPRE ESTEVE CONECTADO COM O NOVO E COM OS NOVOS. ASSIM, AO LER O RESULTADO DE UMA PEQUISA DE MARKETING QUE DIZIA QUE A JUVENTUDE ERA CONSUMISTA E SEM RESPONSABILIDADE SOCIAL, RESOLVEU FAZER A SUA PARTE: MUDOU TUDO O QUE PRODUZIU E FEZ UM DISCO DIRIGIDO AOS JOVENS, ERA "DANÇ-ÊH-SÁ - DANÇA DOS HERDEIROS DO SACRIFÍCIO". O PRIMEIRO ÁLBUM VIRTUAL DA HISTÓRIA, DISPONIBILIZADO SEM NENHUM CUSTO NA INTERNET PELA TRAMAVIRTUAL. ESTAMOS OUVINDO FAIXA TRIÚ- TRIII. (15”)

Entra “Triú-Triii...” como bg do trecho grifado, sobe e corta em 1’46” (1’46”)


Apresentador: TOM ZÉ SEMPRE SE PREOCUPOU MAIS COM O CONTEÚDO DAQUILO QUE PRODUZIA DO QUE COM A ACEITAÇÃO DO GRANDE PÚBLICO. SEMPRE DE VANGUARDA, OLHANDO COM CURIOSIDADE AO REDOR. POR ISSO NÃO FOI DE ESPANTAR QUANDO ELE, DEPOIS TER RECEBIDO CRÍTICAS VIA INTERNET, JUNTOU UMA NOVA GERAÇÃO DE MÚSICOS, DE DIFERENTES ESTILOS E FEZ UM DISCO QUE CONVIDA A PENSAR SOBRE O USO DAS REDES SOCIAIS. NESSE ÁLBUM, TOM PEDE AO PAPA FRANCISCO, PERDÃO POR UM CRIME NOVO, QUE ACABARAM DE INVENTAR. VAMOS OUVIR. (30’)

Entra “Papa Francisco” e fica até o final. (3’10”)
(Baixar no site oficial dele – basta clicar no banner!)

Apresentador: O ÚLTIMO LANÇAMENTO INTERNACIONAL DE TOM ZÉ É QUASE UMA BIOGRAFIA: UM BOX COM TRÊS VINIS, UM COMPACTO E UM CD, PELA LUAKA BOP: ‘STUDIES OF TOM ZÉ – EXPLAINING THINGS SO I CAN CONFUS YOU’ (ESTUDIES ÓV TOM ZÉ - ÉXPLEININ SINGS SOU AI QUÊN CONFIUZI IUL). O NOME QUE EM PORTUGUÊS SERIA: ‘ESTUDOS DE TOM ZÉ – EU TÔ TE EXPLICANDO PRA TE CONFUNDIR’, VEM DE UM DOS VERSOS DA MÚSICA “TÔ”. E PARA GENTE FICAR COM VONTADE DE COMEÇAR ESSE PROGRAMA TODO DE NOVO, PARA TE CONFUNDIR NO QUE É COMEÇO E NO QUE É FIM, O ‘ESTÚDIO F’ TERMINA COMO COMEÇOU: COM A MÚSICA ‘TÔ’ E UMA HOMENAGEM DE ZÉLIA DUNCAN.(35”)

Entra “Tô” e fica até o final (cortar em 2’10”)– incluir desde 01” a fala dela, apresentando ele como pai, amigo, parceiro e uma das figuras mais importantes da música brasileira, a música que a alimenta)

https://www.youtube.com/watch?v=9d0_gr4rXrw

Entra música-tema do Estúdio F e fica em BG. 57”

Paulo César: - O programa de hoje foi roteirizado pelo pesquisador e jornalista Aline Veroneze. O Estúdio F é apresentado toda semana pela Rádio Nacional do Rio de Janeiro e nas Rádios Nacional de Brasília e da Amazônia, emissoras EBC – Empresa Brasil de Comunicação. Os programas da série também são uma das atrações do Portal das Artes. O endereço é www.funarte.gov.br. Cultura ao alcance de um clique! Você também pode ouvir o programa pelo site da EBC: www.ebc.com.br. Quem quiser pode escrever para nós, o endereço é: estudiof@ebc.com.br

Paulo César: – Valeu, pessoal! Até a próxima!!!




CHAMADA
Um dos fundadores do tropicalismo, um inventor de instrumentos, um poeta e artista dos sons e das palavras. Sua produção inteligente, cheia de significados, conquistou a crítica e o público internacional. Redescoberto em solo brasileiro, hoje ele é consagrado como cantor popular à frente de seu tempo. Tom Zé é o homenageado do Estúdio F na segunda-feira, às 21 horas, aqui na Rádio Nacional.