Pesquisar este blog

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Lançamento: O registro da História da Polícia Federal

                                                                                 

  Durante um ano eu visitei o Cel Raposo e juntos transformamos um monte de documentos e os manuscritos dele em um livro histórico sobre como surgiu a PF.
            O prefácio foi escrito pelo Delegado Federal Dr Marcelo Itagiba. A publicação será lançada no Clube de Aeronáutica non dia 03 de Dezembro. Aguardo vocês!







Release:

O Centro Brasileiro de Estudos Estratégicos convida para o lançamento do livro “Polícia Federal do Brasil: 50 anos de história”, de autoria do Presidente de Honra do Cebres, Coronel Amerino Raposo Filho, que será realizado no Clube da Aeronáutica, no dia 03 de Dezembro, às 16 horas, na Praça Marechal Âncora, nº15, no Centro do Rio de Janeiro.

Na publicação, a jornalista Aline Veroneze reúne as memórias do Coronel Amerino Raposo Filho, um dos maiores pensadores brasileiros em estratégia, os documentos produzidos no período e a as implicações e repercussões nacionais e internacionais da criação e implantação da atual estrutura da Polícia Federal do Brasil.

Por determinação do então Presidente da República, Marechal Humberto Alencar de Castelo Branco, o Coronel Raposo redesenhou o antigo Departamento Federal de Segurança Pública, concebendo uma legislação federal que assegurasse objetivos claros, autonomia, estrutura operacional moderna, além de meios para evoluir, crescer e desempenhar a sua missão, ora cumprida com sucesso.


Este livro é também uma fonte de inspiração para a geração atual, pois a concepção e a implantação da nova estrutura demandaram não apenas a competência intelectual do Coronel Raposo, mas coragem e, sobretudo, a consciência de que seu trabalho deveria espelhar a prevalência dos interesses do Estado sobre qualquer vantagem pessoal.

Que o leitor possa experimentar a satisfação de descobrir os meandros desta epopeia, pois sem ela não estaríamos assistindo a ação exitosa da Polícia Federal no cumprimento de missões que vão da preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas, bem como dos bens e interesses da União, até o exercício de atividades de polícia marítima, aeroportuária e de fronteiras, repressão ao tráfico de entorpecentes, contrabando e descaminho, além do exercício exclusivo das funções de polícia judiciária da União.

Sobretudo, não veríamos a Polícia Federal agir com tanta desenvoltura e brilho no combate à corrupção.

 
 


O lançamento repercutiu nas colunas sociais de Juiz de Fora, minha terra natal.
 

 

Canal Saúde na Estrada - Aracaju


A viagem a Aracaju foi muito interessante para conhecer como nasceram as propostas de saúde para o estado de Sergipe. O Programa Canal Saúde na Estrada foi feito por mim e pelo jornalista, também juizforano,  Eduardo Souza. Abaixo das fotos, segue roteiro:






PGM: CSE 083, BL2, ARACAJU, SERGIPE
REPORTAGEM:
ALINE VERONEZE

PRODUÇÃO: GERALDO BOROWSKI

EDIÇÃO: JOÃO GUSTAVO MONTEIRO
CÂMERA:
ALEXANDRE PRADO

ASS. CÂMERA:
MAURÍCIO MAIA



VÍDEO


CLIPE DE GOIÁS

CABEÇA DE ABERTURA
EDU






ALINE
EXT _0008_150924_AU_0019_01 (DECUPADO NO CARTÃO)+ EXT_0008_150924_AU_0001-010 TC 06:39 A 06:46 DECUPADO DO SISTEMA

MAPAGOIÁS

VT DO EDUARDO
(...)
PASSAGEM DE BLOCO 1:
EDU:






ALINE
AU 0001-110 12:26 A 12: 43







INTERVALO
BLOCO2:
MAPA COM SERGIPE
IMAGENS DE ARACAJU
EXT_0008_150923_AN_0171_01 placa mirante
EXT_0008_150923_AN_0172_01caju
EXT_0008_150923_AN_0175_01 farol / praia
EXT_0008_150923_AN_0177_01 aberta da cidade
EXT_0008_150923_AU_0002_01 cajus coloridos
EXT_0008_150923_AU_0006_01 ponte
EXT_0008_150924_AU_0034_01 sequência de estátuas de bronze, temos em geral e individualmente.

Abertura de bloco
EXT_0008_150924_AU_0065_01




Clipe com imagens das inscrições, pessoas conversando... Pessoas com a camisa da conferência...


PLANO SEQUENCIA 1:
EXT_0008_150923_AN_0026_01
CONTINUAR COM O SOBE SOM CURTO DO CLIP SEGUINTE E COLOCAR CRÉDITO DO GRUPO: PEGAR TIME COLD
GRUPO OS MANOS DO FORRÓ (ELES PEDIRAM POR CONTA DO REGISTRO, PARA COLOCAR DESTE JEITO, COM O TERMO GRUPO)

OFF1 – Eu deixaria o baião de bg baixinho ainda no início deste off
EXT_0008_150923_AN_0129_01TAKES DOS MENINOS LAMPIÕES
EXT_0008_150923_AN_0133_01 ARTESANATO GARRAFAS
EXT_0008_150923_AN_0136_01BONECAS DE TECIDO
EXT_0008_150923_AN_0129_01 COMIDAS
EXT_0008_150923_AN_0144_01 CORDÉIS
EXT_0008_150924_AU_0084_01 BONECO GIGANTE
---
EXT_0008_150924_AU_0119_01 TEM UM TRECHO EM QUE TRÊS PESSOAS DE CRACHÁS DIFERENTES EXIBEM A IDENTIFICAÇÃO PARA O CINEGRAFISTA.

EXT_0008_150923_AN_0095_01 PLATEIA DE TRABALHADORES

EXT_0008_150923_AN_0118_01 PLATEIA GERAL, MAS OS DA FRENTE SÃO GESTORES

EXT_0008_150923_AN_0166_01 NESSE CLIPE TAMBÉM TEM OS CRACHÁS LARANJA E VERDE DE USUÁRIOS E CONSELHO
----









SONORA 1
EXT_0008_150923_AN_0066_01
ROGÉRIO CARVALHO DOS SANTOS
REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO DA SAÚDE



Ele dá uma travada entre as palavras que podemos editar aí neste final se cobrirmos com imagens do evento, para ficar mais limpinho ;)

OFF2:




SONORA 2
EXT_0008_150923_AN_0065_01
EDUARDO RAMOS GOMES,
Vice-Presidente do Conselho Estadual de Saúde de Sergipe




OFF3:
EXT_0008_150924_AU_0115_01 TEM A PLATEIA FESTEJANDO
EXT_0008_150924_AU_0122_01
EXT_0008_150924_AU_0160_01 PLATEIA LEVANTANDO OS CRACHÁS PARA VOTAR




EXT_0008_150923_AN_0086_01 HOMENAGEADA NO PALCO
EXT_0008_150923_AN_0085_01 HOMENAGEADO NO PALCO
EXT_0008_150923_AN_0100_01 TAKE MAIS FECHADO COM O DR ALMIR COM A HOMENAGEM NAS MÃOS
EXT_0008_150923_AN_0094_01 tem a usuária batendo palmas
SOBE SOM CURTO DAS PALMAS

OFF4:
Imagens em geral de participações
EXT_0008_150924_AU_0180_01
EXT_0008_150924_AU_0177_01




SONORA 3
EXT_0008_150923_AN_0150_01
MARIA DO SOCORRO DE SOUZA
Pres. Do Conselho Nacional de Saúde
Ela confunde Sergipe com Ceará e corrige na hora. Se quiser cortar e cobrir...










OFF5:
EXT_0008_150924_AU_0096_01 TEMOS A PARTIR DAÍ UMA SEQUENCIA DE GRUPOS DE DISCUSSÃO





SONORA 4
EXT_0008_150923_AN_0153_01
IARA DE SENNA SANTOS BOAMORT Secretária Executiva do CES/SE.
Se quiser enxugar a sonora e tirar a repetição de vinte mil pessoas cobrindo o corte tudo bem, se quiser deixar passar tb ;P

OFF 6:










SONORA 5
EXT_0008_150923_AN_0155_01
ROSELY DE JESUS ALMEIDA, Representante do Sindicato dos
Assistentes Sociais de Sergipe

PENSEI EM COLOCARMOS VÁRIAS CENAS DELES VOTANDO, LEVANTANDO CRACHÁS, COM UM BG PARA QUEBRAR O RITMO

OFF7





















SONORA 6
EXT_0008_150923_AU_0011_01
VALTER JOVINIANO
REPRESENTANTE DOS GESTORES


SONORA 7
EXT_0008_150923_AN_0122_01
AVANI GOMES DE JESUS SANTOS
REPRESENTANTE DOS TRABALHADORES DE SAÚDE
OFF 8:







SONORA8
FLÁVIO VIEIRA DOS SANTOS
REPRESENTANTE DOS GESTORES
EXT_0008_150923_AN_0043_01 começo da sequência de imagens dos testes

OFF9:






PASSAGEM ALINE
EXT_0008_150923_AN_0063_01








SONORA 9
LEANDRO GONÇALVES
CONVIDADO



SONORA 10
ALMIR SANTANA
MÉDICO SANITARISTA/
GERENTE DO PROJETO DST/AIDS DE SERGIPE

OFF10:
EXT_0008_150923_AN_0053_01 imagens do serviço de teste

Takes com a doma Fátima estão a partir de
EXT_0008_150923_AN_0093_01








SONORA 6
EXT_0008_150923_AN_0064_01
MARIA DE FÁTIMA SOUZA
DONA DE CASA
REPRESENTANTE DOS USUÁRIOS


OFF11:






SONORA 7
EXT_0008_150923_AN_0055_01
JOSÉ MACEDO SOBRAL
SECRETÁRIO DE SAÚDE DE SERGIPE
















OFF12:

















SOBE SOM
EXT_0008_150924_AU_0175_01




OFF 13:










ADRIANE OLIVEIRA DE SOUZA ANDRADE
REPRESENTANTE DOS TRABALHADORES




OFF 13:




















ÁUDIO


OLÁ, O CANAL SAÚDE NA ESTRADA HOJE É ESPECIAL. / VAMOS ACOMPANHAR A ETAPA ESTAUDAL DA DÉCIMA QUINTA CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE./ AQUI EM GOIÂNIA, EU VOU MOSTRAR COMO FOI A OITAVA CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SAÚDE DE GOIÁS./ E EM SERGIPE, QUEM ACOMPANHOU A ETAPA ESTADUAL FOI A ALINE VERONEZE./

/OLÁ, EDUARDO. // AQUI, EM ARACAJU, A SEXTA CONFERÊNCIA ESTADUAL DE
 SAÚDE DE SERGIPE DUROU DOIS DIAS E CONTOU COM O APOIO MACIÇO DA POPULAÇÃO. //;) NO SEGUNDO BLOCO, EU TRAGO OS DETALHES. //


VT DO EDUARDO
(...)
O CANAL SAÚDE NA ESTRADA FAZ AGORA UM RÁPIDO INTERVALO./ NO
 PRÓXIMO BLOCO, A GENTE CONTINUA COM A COBERTURA DA ETAPA ESTADUAL DA DÉCIMA QUINTA CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE, COM A ALINE VERONEZE./

É ISSO MESMO, EDUARDO. //NO PRÓXIMO BLOCO, O SAÚDE NA ESTRADA MOSTRA COMO O ESTADO DO SERGIPE MOBILIZOU-SE PARA A SEXTA EDIÇÃO DA CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SAÚDE E OS PRINCIPAIS DESAFIOS E PROPOSTAS DOS 75 MUNICÍPIOS DO ESTADO. /FIQUE CONOSCO.// ;)EU VOLTO JÁ,JÁ.//

INTERVALO

BG








OLÁ, O CANAL SAÚDE NA ESTRADA ESTÁ ACOMPANHANDO A ETAPA ESTADUAL DAS CONFERÊNCIAS DE SAÚDE. //EU SOU ALINE VERONEZE E, TRAGO OS DETALHES DO EVENTO QUE ACONTECEU NOS DIAS 23 E 24 DE SETEMBRO. //

SOBE SOM


ESTAMOS COBRINDO A SEXTA CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO SERGIPE E ELA COMEÇOU ASSIM: SAUDÁVEL!COM UM CAFÉ DA MANHÃ, PARA DAR INÍCIO AOS TRABALHOS DE DISCUSSÃO SOBRE A QUALIDADE DA SAÚDE NO ESTADO. // QUEM ESTEVE PRESENTE TAMBÉM PODE APROVEITAR MUITAS ATIVIDADES CULTURAIS. //

SOBE SOM


ALÉM DO BAIÃO, DA ALEGRIA DOS MENINOS LAMPIÕES, A CONFERÊNCIA ESTADUAL DO SERGIPE, APRESENTOU AOS CONVIDADOS A ARTE LOCAL!/ BONECAS DE TECIDO, GARRAFAS PINTADAS, DOCES TÍPICOS, ALÉM DO CORDEL.../ PRODUÇÃO QUE GERA RENDA: CONTRIBUI PARA MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA E, CONSEQUENTEMENTE, A SAÚDE DA POPULAÇÃO. //

LOGO NO INÍCIO DAS ATIVIDADES, O LOCAL JÁ ESTAVA REPLETO DE REPRESENTANTES DO GOVERNO,//
 DE GESTORES,//
 PRESTADORES DE SERVIÇOS DE SAÚDE,// TRABALHADORES DO SETOR //
 USUÁRIOS//
E CONVIDADOS//
DURANTE A CERIMÔNIA DE ABERTURA, O REPRESENTANTE DO GOVERNO FEDERAL RESSALTOU A IMPORTÂNCIA DE MOMENTOS DE DISCUSSÃO COMO ESTE, TENDO EM VISTA A QUESTÃO HISTÓRICA DO SUBFINANCIAMENTO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E O ATUAL CENÁRIO DE CRISE.//



00:25 a 01:06 – “É preciso que regionalmente a gente estimule as pessoas no debate sobre o que é preciso melhorar: a gente tem pistas. Por exemplo, o tempo de espera, que é prolongado, a insegurança das pessoas quando necessitam do serviço de saúde, principalmente nos serviços ambulatoriais especializados. É preciso debater isso, procurar soluções e obviamente que solução para estes problemas passa por ter mais serviço, mais serviços, mais recursos e a gente precisa estimular o debate sobre fontes alternativas, fontes exclusivas de financiamento da saúde.”

A QUESTÃO DA FALTA DE RECURSOS NA SAÚDE TAMBÉM FOI O DESTAQUE DO CONSELHO ESTADUAL DE SAÚDE DO SERGIPE.//

00:55 A 01:07 - “Não se faz saúde sem dinheiro. A saúde é diferente de festa. Quando é festa, eu tenho que contratar três bandas e eu corto duas, eu faço com uma banda, mas na saúde, quando eu corto ações de saúde, eu perco é vidas e vidas têm que ser prioridades.”

A ESTIMATIVA DOS ORGANIZADORES É DE QUE SETECENTAS PESSOAS ESTIVERAM PRESENTES A CADA UM DOS DOIS DIAS DE CONFERÊNCIA. //UMA PLATEIA REALMENTE ENVOLVIDA NA CONSTRUÇÃO DE PROPOSTAS PARA A SAÚDE NOS PRÓXIMOS QUATRO ANOS.//


LOGO NA ABERTURA DO EVENTO, OS PROFISSIONAIS QUE FIZERAM A
DIFERENÇA NO ‘SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE’ DO ESTADO, EM 2015, FORAM HOMENAGEADOS.//


SOBE SOM CURTO


TODA ESSA PARTICIPAÇÃO DE CONVIDADOS E DELEGADOS É RESULTADO DE UM FEITO INÉDITO NO ESTADO: ESTE ANO, SERGIPE CONSEGUIU REALIZAR CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS EM TODOS OS 75 MUNICÍPIOS.  //

3:57 A 04:35 – “Sergipe entendeu sua tarefa política e os objetivos da nossa conferência, se comprometeu e realizou nas condições que o estado do Sergipe assegurou. Primeiro de mobilizar vários setores da sociedade. Eu acho que a conferência ela abre fazendo várias homenagens e essa expressão de reconhecimento já é o compromisso do Conselho Estadual de ampliar o diálogo com outros setores da sociedade. Também tem muitos movimentos populares que tiveram a iniciativa de fazer conferências livres e isso é muito importante porque também acolheu, mesmo na condição de convidados, movimentos que têm histórico na defesa do SUS.”


DURANTE AS CONFERÊNCIAS MUNICIPAIS AS QUESTÕES DE SAÚDE QUE AFLIGEM UMA POPULAÇÃO DE MAIS DE DOIS MILHÕES DE BRASILEIROS, QUE VIVEM NO ESTADO DO SERGIPE, FORAM DISCUTIDAS. // O RESULTADO: AS MAIS DE TRÊS MIL PROPOSTAS QUE VIERAM PARA A CONFERÊNCIA ESTADUAL.//

00:03 a 00:21 “Nós ouvimos vinte mil pessoas, na faixa de vinte mil pessoas, de onde saíram as três mil propostas, que nos darão base para construir a partir de 2016 uma melhoria para a saúde pública.”

FORAM FORMADOS SETE GRUPOS PARA VOTAR AS PROPOSTAS MAIS IMPORTANTES DENTRO DE CADA EIXO DE DISCUSSÃO.// NA PLENÁRIA FINAL, FORAM ELEITAS AS TRINTA E CINCO PROPOSTAS QUE SERÃO DEFENDIDAS PELOS DELEGADOS QUE REPRESENTARÃO O ESTADO NA DÉCIMA QUINTA CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE. //

1:16 a 1:32 “Aquelas que obtiverem uma votação entre 30 e 70%, irão compor um documento estadual que irá subsidiar a política estadual de saúde e aquelas que tiverem uma votação inferior a 30% serão consideradas automaticamente suprimidas.”

SOBE SOM


EM UM PAÍS DE DIMENSÕES CONTINENTAIS COMO O NOSSO, AS CONFERÊNCIAS ESTADUAIS SÃO OPORTUNIDADES DE TODOS OS SETORES COLABORAREM PARA A CONSTRUÇÃO DE METAS NACIONAIS QUE REALMENTE ABORDEM AS NECESSIDADES DAS DIFERENTES REGIÕES.// PARA GESTORES E TRABALHADORES DA SEXTA CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SERGIPE, A FORMAÇÃO E A VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE MERECEM MAIS ATENÇÃO.// UMA DAS PROPOSTAS APROVADAS AQUI PARA SER DEBATIDA NA 15ªCONFERÊNCIA NACIONAL FOI A PARCERIA DO SUS COM UNIVERSIDADES.//





00:37 A 00:48 “Para que essa formação já venha casada com os interesses do SUS e assim a gente consiga ampliar a oferta de serviços e prestar uma atenção de melhor qualidade.”


00:07 A 00:18 “A questão da educação continuada e o plano de carreiras e salários que a saúde em si é carente e tem que ser um plano que atenda a todos.”


FLÁVIO É GESTOR DE UM HOSPITAL PÚBLICO. //VEIO À SEXTA CONFERÊNCIA ESTADUAL PARA LUTAR POR MAIS RECURSOS PARA O SEMIÁRIDO SERGIPANO.///


00:13 A 00:29 “Que os governos que esteja voltado, maior atenção, para os municípios de pequeno porte que têm pouco financiamento, que faça com que desenvolva melhor o sistema de saúde.”

ENQUANTO AS PROPOSTAS ERAM VOTADAS PELOS 427 DELEGADOS, ALGUNS CONVIDADOS, COMO LEANDRO, DE 25 ANOS, FAZIAM EXAMES DE SAÚDE, ALI MESMO, NO LOCAL DA CONFERÊNCIA.//

INFELIZMENTE, SERGIPE É UM DOS ESTADOS COM O MAIOR NÚMERO DE CASOS DE SÍFILIS CONGÊNITA. // PARA MUDAR ESSA REALIDADE, FOI INSTALADA AQUI NA SEXTA CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SAÚDE,  UMA UNIDADE MÓVEL QUE PERCORRE TODO O ESTADO, FAZENDO TESTES DE AIDS, SÍFILIS E HEPATITE C.//

00:25 a 00:37 “Eu nunca tinha feito um exame como esse e é muito difícil ir a um hospital quando você acha que não está doente, quando você não tem sintoma nenhum de doença. Então é uma forma da saúde ir até o povo.”

00:40 – 00:56 “Nós trouxemos a unidade com duas finalidades: primeiro apresentar para quem ainda não conhece e segundo, uma oportunidade de oferecer os testes rápidos de HIV, Sífilis e Hepatites para a comunidade que está aqui.”

LEVAR SERVIÇOS DE SAÚDE DE QUALIDADE AOS QUATRO CANTOS DE UM PAÍS COM CIRCUNSTÃNCIAS MUITO DISTINTAS É UM GRANDE DESAFIO, QUE DONA MARIA DE FÁTIMA, DONA DE CASA E DELEGADA QUE REPRESENTA OS USUÁRIOS DO SUS ACREDITA SÓ SER POSSÍVEL COM A PARTICIPAÇÃO POPULAR.





00:35 A  00:49 “Como é que vai saber o que é a realidade da nossa comunidade se a gente não estiver presente? Eu mesmo não quero uma saúde que venha de cima para baixo. Ela tem que ser construída com as necessidades de onde eu moro.”

PARA AS AUTORIDADES PRESENTES, OS MOMENTOS DE DISCUSSÃO TRAZEM  À TONA OS ANSEIOS DE GESTORES, TRABALHADORES E PRESTADORES, MAS PRINCIPALMENTE, DE TODOS ENQUANTO USUÁRIOS.//

00:13 A 00:47 “Realizar uma conferência de saúde é muito importante. É onde você discute seus erros, avalia aquilo que foi produtivo, planeja as ações futuras, propõe um Brasil, um SUS cada dia mais abrangente, cada vez mais eficiente para sua população e escuta, acima de tudo, os usuários. Acho que esse é o momento do usuário se pronunciar. Aqueles que são os pacientes, que efetivamente têm as ações do SUS voltadas para si e discutir no que a gente precisa avançar.”



O SEGUNDO DIA DA CONFERÊNCIA COMEÇOU COM AS DISCUSSÕES DAS PROPOSTAS .// AO FINAL DOS TRABALHOS NA PLENÁRIA FINAL, FOI ELABORADO UM RELATÓRIO QUE, ALÉM DAS TRINTA E CINCO PROPOSTAS DO ESTADO, LEVA PARA A CONFERÊNCIA NACIONAL UMA MOÇÃO PEDINDO A REVISÃO DOS VALORES QUE SÃO EMPREGADOS NO SUS, EM COMPARAÇÃO COM O PERCENTUAL DO PIB QUE É DESTINADO À REDE PRIVADA DE SAÚDE. //OUTRA MOÇÃO APROVADA FOI DE REPÚDIO AO PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, EDUARDO CUNHA, POR IR DE ENCONTRO AO SUS COMO DIREITO UNIVERSAL E DEVER DO ESTADO.//

SOBE SOM
00:27 A 00:41 “Pela retirada do Presidente do Congresso dos Deputados Federais, Eduardo Cunha

A ÚLTIMA ATIVIDADE FOI A ELEIÇÃO DOS REPRESENTANTES DE SERGIPE, QUE IRÃO PARA A CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE. // DOS QUATROCENTOS E VINTE E SETE DELEGADOS QUE ATUARAM AQUI, NESSES DOIS DIAS, SESSENTA REPRESENTARÃO O ESTADO NA 15ªCONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE, QUE ACONTECERÁ ENTRE OS DIAS PRIMEIRO E QUATRO DE DEZEMBRO.//
00:29 a 00:48 “O que a gente está procurando em Brasília é fortalecer nosso trabalho, o que o SUS já tem e tornar também de conhecimento ao público tudo que a gente faz. Porque não pode a população conhecer o SUS só como médico e consultório. Nós temos um SUS muito amplo e temos que divulgar.”

DISCUSSÃO DE PROPOSTAS, ELEIÇÃO DE REPRESENTANTES PARA A CONFERÊNCIA NACIONAL... AS CONFERÊNCIAS ESTADUAIS DE SAÚDE FORAM GRANDES CELEBRAÇÕES EM PROL DA CONSTRUÇÃO DEMOCRÁTICA DO SISTEMA DE SAÚDE NO BRASIL.//

SOBE SOM

GESTORES, PRESTADORES DE SERVIÇO, TRABALHADORES DA SAÚDE, USUÁRIOS, CONVIDADOS, TODOS, UNIDOS, POR UM SUS QUE ATENDA DE FATO, AO MÁXIMO, AS NECESSIDADES DOS BRASILEIROS. //

BOM, OS DESTAQUES DAS CONFERÊNCIAS  ESTADUAIS DE SAÚDE DE GOIÁS E DO SERGIPE CHEGARAM AO FIM E ESTA EDIÇÃO ESPECIAL DO SAÚDE NA ESTRADA TAMBÉM.//ATÉ A PRÓXIMA!


Fazendo media Training com os comandantes da PMERJ





Coronéis são treinados para conceder entrevistas

Este foi o último módulo do Prog de Treinamento e Especialização em Comunicação Estratégica
Foi realizado nesta terça-feira (17/03) o último módulo do Programa de Treinamento e Especialização em Comunicação Estratégica, idealizado pelo Coronel Frederico Caldas, coordenador da CComSoc.

Programa foi idealizado pelo Cel Frederico Caldas (meio)
Programa foi idealizado pelo Cel Frederico Caldas (meio)

Além de acompanhar as palestras dos jornalistas Gustavo de Almeida (editor de novos projetos de comunicação móvel do Infoglobo) e Victor Javoski (da Subsecretaria de Comunicação Social do Governo do Estado) – que abordaram assuntos como a relação entre a mídia e as redes sociais; a visão estratégica destas novas ferramentas; e o momento em que o público também passou a ser emissor de informações e notícias – os coronéis também encararam um verdadeiro “teste de fogo” durante a simulação de diversas situações de entrevistas comuns ao dia a dia do policial militar.
Sob o comando da chefe da Assessoria de Imprensa da PMERJ, Marcela Lobo, as jornalistas Aline Veroneze (CComSoc), Isabele Benito (SBT) e Liane Borges (SBT) desenvolveram uma série de perguntas desafiadoras abordando vários assuntos relacionados à segurança pública. O objetivo principal era  capacitar e habilitar os militares, a concederem entrevistas aos diversos órgãos de imprensa.

Repórteres do SBT fizeram perguntas testando os policiais
Repórteres do SBT fizeram perguntas testando os policiais

“Hoje o nível de dificuldade foi muito grande, e a gente tenta colocar este treinamento o mais próximo possível da realidade para que estes comandantes saibam o que eles vão enfrentar no dia a dia” explicou o coronel Frederico, que também afirmou que a iniciativa será ampliada:
“A partir de agora a gente vai iniciar o mesmo treinamento com mais coronéis à nível de diretoria e depois passar para comandantes de unidades por CPA”, disse o coronel Frederico.
De acordo com o comandante do 2° CPA, coronel José Macedo, o curso enfatizou a importância do trabalho da corporação junto à imprensa.
“Depois desta instrução, com certeza nós saímos daqui bem mais capacitados para lidar com as questões de mídia e contato com a imprensa. Serviu também para desmistificar algumas crenças que tínhamos e nos aproximar dos jornalistas, o que nos deixa mais à vontade e preparados para atender estas ferramentas de divulgação de notícias, que são essenciais ao nosso trabalho” destacou o coronel Macedo.
Também participaram deste treinamento, além dos coronéis comandantes de CPAs, o capitão Maicon Pereira e a Tenente Tatiana Lima, porta-vozes da PMERJ.



https://blogdocelerir.wordpress.com/2015/03/20/coroneis-sao-treinados-para-conceder-entrevistas/

Fedra, o espetáculo inesquecícel de Fernanda Montenegro

Leia no site da Funarte

A Fedra de Fernanda Montenegro


Mídias deste texto

Imagens (6 imagens)

Um dos espetáculos de maior repercussão da carreira de Fernanda Montenegro foi Fedra, texto de Jean Racine, traduzido por Millôr Fernandes, com direção de Augusto Boal. Cartas do acervo deste diretor no Cedoc da Funarte mostram que Boal, que estava em Paris, planejou seu retorno ao Brasil com o objetivo de montar esse espetáculo com o casal Fernanda Montenegro e Fernando Torres. Ele menciona que se planejaria de acordo com a agenda de Fedra. Em entrevista sobre os valores morais abordados na peça, Boal fala de Teseu como alguém que impõe uma moral rígida, sob a qual nem ele mesmo se submete. “Nas tiranias isso sempre existe… Disso deriva o núcleo da obra: de que modo você, como ser humano, pode conviver com os outros?”, pondera.
Diferente da tradução anterior, feita por José Oiticica, na versão de Millôr optou-se por uma linguagem mais acessível. Nos arquivos da Funarte é possível encontrar também essa nova adaptação, com marcações à caneta, em uma revisão final entre Millôr, diretor e atores. Com a pontuação cênica de Fernando Torres, o texto adquiriu também tom mais crítico.
Pelo elenco dessa versão de Fedra, produzida pela empresa Fernando Torres Diversões, passaram: Bete Erthal, Edson Celulari, Giulia Gam, Jacqueline Lawrence, Joyce de Oliveira, Sebastião Vasconcelos, Wanda Kosmo, Cássia Kiss, Jonas Mello, Linneu Dias e Fernando Torres. Cenário e figurino ficaram por conta de Helio Eichbauer.
Anotações pessoais de Fernando Torres sobre a temporada no Rio de Janeiro, nesta galeria de imagens, dão uma ideia de como foi montada a equipe: com dez atores, iluminador, diretor de cena, camareira, sonoplasta, secretário e um administrador. Outro documento da galeria de fotos, datado de março de 1987, conta que o Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos do Estado de São Paulo (Sated/SP) encaminhou a Fernanda e Fernando um manifesto contra censura e pediu a leitura deste no palco.
A narrativa do teatro clássico francês, datada de 1677, trata da paixão de uma mulher com fim trágico, tanto para ela quanto para o amado inocente. A peça acabou resultando em uma discussão sobre o papel da mulher e de seus desejos na sociedade brasileira dos anos 1980, três séculos após o texto original. O espetáculo levantou questões sobre a sexualidade feminina e a consequencia disso em seu papel social, como mãe, esposa, cidadã, em uma sociedade em que seus sentimentos afetavam a moral e o destino, inclusive, da sua descendência. Um grande desafio, mesmo para uma atriz já consagrada como Fernanda.
A postura de Fernanda Montenegro, indo além de uma leitura superficial e óbvia, fica evidente ao observarmos suas anotações feitas à caneta, enquanto estudava as falas, como mostra o documento do acervo pessoal da atriz doado à Funarte. Em um pequeno pedaço de papel, ela anotou: “Estudando essa personagem, vejo Fedra tão próxima, tão contemporânea. Há uma dualidade feminina frente ao mundo masculino. Mais do que nunca, as mulheres, certamente conduzidas por Vênus, discutem, esclarecem, reconduzem. Fedra é o mito da insurreição feminina”.
O mito conta que Fedra já descende de uma mãe condenada por ter cedido aos encantos apresentados por Vênus. Assim, casada com o poderoso Teseu e predestinada aos maus tratos, ela também acaba envolvida pelos excessos da paixão. Encantada pela virilidade sem tirania do enteado Hipólito, vê-se apaixonada pelo jovem rapaz. Ele, no entanto, ama outra e não a corresponde.
Quando Teseu, o marido, volta de uma longa viagem, a ama de Fedra acusa Hipólito do “crime” de sedução. Como vingança, Teseu planeja com o “Deus dos Mares” a morte do próprio filho, pelas garras de um monstro marinho. Ao saber do assassinato do amado inocente, da injustiça da condenação, Fedra confessa sua paixão e comete suicídio. Não há um pedido de perdão, mas o desejo de libertar o amado, de livrá-lo da desonra pública.
Em fevereiro de 1986, o elenco de Fedra realizou ensaios abertos, cobrando 1/4 do valor do ingresso; à época, 25 mil cruzeiros. As apresentações ocorreram no Teatro de Arena, no Rio de Janeiro, inaugurado por Augusto Boal duas décadas antes. O espetáculo circulou por São Paulo, Taubaté, Recife, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Rio de Janeiro, Porto Alegre, entre outras cidades, causando diferentes reações.
Em Recife, em outubro de 1986, no Teatro do Guararapes, muitos na plateia não compreenderam e saíram antes do fim, ou mesmo dormiram durante a apresentação. Já em Porto Alegre, a última temporada na capital gaúcha, por exemplo, foi encerrada com uma homenagem com uma chuva de flores.
Fedra foi encenada em vários países, por diferentes companhias, mas o trabalho estrelado por Fernanda Montenegro e Edson Celulari suscitou elogios em todo o mundo. Cartas do acervo da Funarte entre Augusto Boal e o Ministério de Cultura da França evidenciam que o espetáculo, inclusive, fez parte das comemorações do Ano França-Brasil, em 1986, obtendo muito sucesso.
Por Aline Veroneze
Revisão de Maria Cristina Martins e Pedro Paulo Malta